Rá-Tim-Bum, o Castelo | Mais três meses para matar a saudade

358 0

Você se lembra de quando a TV aberta tinha programação de qualidade para crianças e adolescentes? Então você, com certeza, tem mais de 30 anos, como eu. E uma das minhas grandes saudades dessa época, embora não fosse mais criança quando foi exibida pela TV Cultura, entre 1994 e 1997, é da série Castelo Rá-Tim-Bum.

A história contava o dia a dia de Nino, um garoto de 300 anos que vive com seu tio, Dr. Victor, um feiticeiro e cientista, e com sua tia-avó, Morgana. Eles moram em um castelo antigo no centro da cidade e são visitados diariamente por três crianças, Biba, Pedrinho e Zequinha, além do entregador de pizza Bongô, da repórter de TV Penélope, da cobra Silvia, de Caipora e Etevaldo, sem esquecer, é claro, do vilão da trama, Doutor Abobrinha – corretor maligno que sempre tinha um plano para destruir o castelo e fazer, em seu espaço, um estacionamento.

A série também tinha os moradores excêntricos do castelo, que viviam histórias paralelas dentro de cada episódio, como, por exemplo, o Gato Pintado (que vivia na Biblioteca e adorava livros, obras literárias e de Arte), Mau e Godofredo (que moravam nos esgotos do castelo), o Porteiro Mecânico (que sempre tinha um enigma para permitir a entrada), o Relógio, as Botas Tap e Flap, Adelaide (a gralha de estimação de Morgana) e o inesquecível Ratinho que cantava a música do banho, uma ode à boa higiene da criançada da época.

Em cada episódio, uma lição e a certeza de que a vida era divertida e o bem sempre venceria no final. Que saudade desta época… Mas chega de saudade! Desde 31 de março, na Fundação Memorial da América Latina, está rolando a exposição Rá-Tim-Bum, o Castelo, que acaba de ser prorrogada por mais 3 meses (vai até dia 30 de setembro), devido ao enorme sucesso e ingressos esgotados até o final de junho – data inicialmente prevista para o fim da exposição. Grande oportunidade para matar, pelo menos um pouquinho, a saudade, né? E, o melhor: apresentar aos nossos filhos e sobrinhos o que nos encantava em “nossa época”.

Diferente da ultima exposição, que aconteceu em 2015 no MIS, esta conta com a reconstrução do Castelo. Desde a entrada até a parte interna, os visitantes sentem a magia de estar dentro do mesmo cenário que víamos nas telinhas. A sensação é de que, em cada ambiente, daremos de cara com o Nino entretido em suas aventuras. Vale a pena visitar. Os ingressos custam R$20 (inteira) e R$10 (meia) e podem ser adquiridos pelo site www.ratimbumocastelo.com.br ou diretamente na bilheteria do Memorial da América Latina, no bairro Barra Funda na capital paulista.

Serviço

Rá-Tim-Bum, o Castelo
Quando: até 30/09. De terça a sexta, das 9h às 21h, aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 22h.
Quanto: R$20,00 e R$10,00.
Onde: Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda.

Total 2 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Quem escreveu isso?

Jornalista, redatora, com especialização em comunicação interna e MBA em Marketing, Dani é uma apaixonada pelas letras. Em 15 anos trabalhando na área, ela já foi coordenadora de comunicação de uma grande empresa, editora de duas revistas customizadas e de variedades, colunista cultural de jornais e criou várias campanhas publicitárias. Hoje é sócia da Parla, Donna!, uma agência de comunicação e marketing, onde continua exercendo sua criatividade e assinando com personalidade os conteúdos que cria. Gastronomia, viagens, livros, filmes, decoração, pizza, temakis, vinho e seus cachorros são algumas de suas paixões.