O Electric Zoo Festival chega a SP

279 0

Aconteceu, no dia 21 de abril, a primeira edição do Electric Zoo Festival, em São Paulo. A Plusnetwork, uma das grandes empresas de música eletrônica do Brasil, que faz parte integrante do grupo LiveStyle, de Los Angeles, trouxe ao país, no feriado de Tiradentes, o festival nova-iorquino Electric Zoo, que contou com grande estrutura montada no Autódromo de Interlagos.

Com três palcos e capacidade para receber 20 mil pessoas, o festival teve mais de 12 horas de duração. O palco “King Cobra Stage” foi dedicado ao EDM (Eletronic Dance Music); o palco “Awakenings Stage” foi exclusivo para os fãs de techno; por fim, o palco “Tree House Stage” foi a sede das novidades do underground. Houve batidas pra todos os gostos, pra ninguém ficar parado.

O primeiro Electric Zoo aconteceu em 2009, tornando-se, com o passar do tempo, um dos principais festivais americanos, sempre com edições anuais. O ultimo festival foi em 2016, no entanto, já ocorreram edições no México, Japão e China. A proposta do festival é a junção de características urbanas com a natureza, especificamente com a fauna, e, nesta mistura, acrescentar a música eletrônica. Por todo o espaço do festival, existiam representações de alguns animais como gorilas, zebras, araras e tantos outros. O palco principal, o King Cobra Stage, não tem esse nome à toa: são 22 metros de altura e 50 metros de largura voltados para a música mainstream, por onde passaram os DJs Hardewll (Holanda), KSHMR (EUA), R3hab (Holanda), Vintage Culture (Brasil), Alan Walker (Inglaterra), The Jillionaire (Trindade e Tobago), Bruno Martini (Brasil), The Juns (Brasil), Elekfantz (Brasil) e Júnior C (Brasil).

“Trouxemos o Electric Zoo à cidade porque ele é marcado por uma característica urbana e acreditamos que o mercado local ainda tem demanda por megafestivais”, diz Mauricio Soares, diretor de marketing da Plusnetwork, empresa responsável pelo evento.

Para completar o festival, as marcas Skol Beats e Fusion tiveram produtos especialmente desenvolvidos para o público do festival. A Skol trouxe ao evento maquinas em um caminhão capazes de congelar a essência de três de suas principais bebidas, a Senses (azul), Spirit (verde) e Secret (vermelha), transformando-as em algo totalmente novo e ainda mais refrescante. Já a Fusion Energy Drink, energético da AMBEV, construiu um bar high tech, interativo e gratuito, onde o publico escolhia um dos mais de 15 drinks desenvolvidos especialmente para o festival, através de uma tela touch.

“O Electric Zoo é um festival de referência na música eletrônica e conecta os fãs do estilo em uma atmosfera completamente única e inédita no Brasil. É um casamento perfeito para a Fusion oferecer na forma de drink uma conexão inusitada de sabores, ingredientes e sensações, capaz de energizar o público para que ele aproveite cada momento do festival” disse Isabela Delai, gerente de marketing da marca.

Infelizmente, no decorrer do festival, o possível trafico de drogas dentro do evento desencadeou um desentendimento que levou à morte de um dos três envolvidos. Em nota na pagina do Facebook do festival, a organização lamentou o ocorrido e esclareceu que o porte de armas de fogo por policiais está acima da autoridade e controle dos organizadores do evento.

A produção do Electric Zoo Brasil lamenta ocorrido na madrugada do último dia 22 de abril envolvendo integrantes da polí…

Posted by Electric Zoo Brasil on Sunday, April 23, 2017

Além desse incidente que muitas pessoas nem chegaram a perceber, já que aconteceu dentro do banheiro da área VIP, a chuva, em diversos momentos, espantou o publico para longe da área aberta do palco principal, fazendo com que os outros dois palcos cobertos se tornassem um refugio contra a chuva gelada que caiu durante grande parte do começo da noite, mas que parou após à 00h. Outro ponto que deixou a desejar foi a área montada como praça de alimentação. Por ser descoberta, não era possível ficar nas poucas mesas e bancos disponíveis.

Por ter sido a primeira edição, os organizadores ainda podem melhorar e expandir o festival, principalmente na questão de utilização do espaço disponível no Autódromo, onde, em diversos momentos, a acústica não favorecia os palcos e a interferência do som se tornava um problema para a experiência, no momento da apresentação de alguns DJs.  Nada que não possa ser melhorado em futuras edições.

Confira como foi o line up completo:

MAIN STAGE – KING COBRA

16:00 – JUNIOR C

17:00 – ELEKFANTZ

18:00 – THE JUNS

19:00 – BRUNO MARTINI

20:00 – THE JILLIONAIRE

21:00 – ILLUSIONIZE

22:00 – ALAN WALKER

23:00 – VINTAGE CULTURE

00:00 – R3HAB

01:15 – KSHMR

02:30 – HARDWELL

04:00 – ENCERRAMENTO

AWAKENINGS

16:00 – SOLDERA

17:30 – EUDI

18:30 – NIC FANCIULLI

20:30 – GUI BORATTO

22:00 – PIG & DAN

00:00 – ANNA

02:00 – ENRICO SANGIULIANO B2B BART SKILS

04:00 – ENCERRAMENTO

TREE HOUSE

16:00 – MICHAEL KANE

17:00 – ZELIG

18:00 – KVSH

19:00 -LIU

20:00 – DOOZIE

21:00 – DAZZO

22:00 – HOT BULLET

23:00 -FRACTALL

00:00 – DUBDOGZ

01:00 – MALIK MUSTACHE

02:30 – CHEMICAL SURF

04:00 – ENCERRAMENTO

Total 0 Votes
0

Tell us how can we improve this post?

+ = Verify Human or Spambot ?

Quem escreveu isso?

Eterno aprendiz, ótimo ouvinte mas por favor a história tem que ser boa hein!!! Bacharel em Administração, coordenando uma cambada de cinco loucos que são a melhor equipe de uma operadora de planos de saúde. Vamos fazendo o bem sem olhar a quem.